fbpx

Manifesto de Documento Fiscal eletrônico foi criado para simplificar a burocracia que existe no sistema de transporte de cargas. Assim, a versão eletrônica substitui o sistema impresso, como o Manifesto de Carga Modelo 25 e a CL-e (Capa de Lote eletrônica).

Deve ser emitido por transportadoras ou empresas que prestam serviço de transporte de cargas, o MDF-e cumpre a função de agilizar o registro em lote dos documentos fiscais e identifica as demais características do transporte. Quer saber mais? Continue lendo…

O principal objetivo do MDF-e é agilizar o cadastro em lote de documentos fiscais relacionados à carga que está em trânsito. Em resumo, mediante a assinatura digital, a certificação de que a carga em questão está juridicamente de acordo com a lei é válida em qualquer circunstância, validando as condições da carga e do veículo.

Para quem utiliza esse sistema há dois benefícios diretos: o primeiro dele é que o gerenciamento de cargas se torna muito mais simples, pois toda a documentação fica reunida em um só lugar. Já o segundo aspecto é a diminuição do tempo de fiscalização nas vias, o que diminui os prazos de entrega e evita atrasos. Ainda melhor: tudo pode ser acompanhado online e em tempo real.

Como o MDF-e é emitido?

Cada estado é responsável por definir as regulamentações específicas do uso da MDF-e, conforme determinação do Conselho Nacional de Política Fazendária. Cabe assim, portanto, à Secretaria da Fazenda de cada estado definir as datas e as regras para que as empresas possam emitir esse documento.

Para realizar o seu cadastro junto ao órgão e passar a emitir esse documento eletrônico, é necessário ficar atento a pelo menos três itens:

Por fim, é importante mencionar que a existência do MDF-e visa facilitar o controle e diminuir a burocracia com a qual as empresas precisam lidar. Dessa forma, usar softwares específicos para emissão e controle do MDF-e é a solução mais adequada. Profissionais de contabilidade, empresários e executivos devem estar atento a esses detalhes na hora de fazer qualquer planejamento que envolva transporte.

Visite o Site da Fazenda para saber mais! Ou entre em contato e receba a visita de nossos especialistas!

Você quer entender melhor do que se trata o CT-e e como emitir esse documento?

Trata-se de um documento exclusivamente eletrônico que substitui vários tipos de documentos fiscais em papel. Ter tudo registrado eletronicamente facilita  a gestão da sua empresa de transporte. 

O CT-e é diferente da Nota Fiscal Eletrônica, portanto, vale a pena informar-se melhor sobre seu funcionamento. Nesse texto, você aprenderá tudo que precisa saber sobre o CT-e, seus benefícios e o que  fazer para emitir esse documento. Basta continuar lendo e  conferir:

Para que serve o CT-e?

O Conhecimento de Transporte Eletrônico, ou CT-e, é um documento virtual que acompanha a prestação de serviços de transporte.  Utilizado com o fim de obter comprovações fiscais de qualquer operação de transporte ou frete, independente da área.

Para assegurar a validade jurídica do CT-e,  são necessárias a assinatura digital do emitente e a recepção e autorização de uso pela Fisco. Essas assinaturas são garantidas através de um certificado digital.

Caso possua essas duas certificações, o CT-e  é reconhecido e é válido em todo o país. Uma vez que a emissão desse documento é gratuita.

Quais documentos o CT-e substitui?

O Conhecimento de Transporte Eletrônico, segundo a Secretaria da Fazenda, substitui atualmente seis documentos fiscais. Documentos que não estiverem nessa lista devem continuar a ser emitidos separadamente, de acordo com a legislação.

Confira todos os documentos que o CT-e substitui:

Quais as vantagens de emitir o CT-e?

Você pode visitar a página do CT-e no site da Fazenda para tirar as suas dúvidas e conferir todos os benefícios da documentação eletrônica.

Como proceder para emitir o CT-e?

O Ajuste SINIEF 08/12 tornou obrigatória a emissão do CT-e desde o dia 22 de dezembro de 2011. O documento eletrônico substitui todas as variações em papel anteriores.

Confira a seguir o passo a passo para fazer a emissão:

  1. Solicite o credenciamento da sua empresa na SEFAZ. É necessário cadastrar o CNPJ da transportadora antes que a Secretaria da Fazenda permita a emissão do CT-e.
  2. Escolha  o seu sistema emissor de CT-e. Existem muitos tipos de software no mercado. Você pode encontrar inclusive opções integradas com o sistema de gerenciamento de frota. Além da versão disponível no próprio site da Fazenda, você encontra também sites gratuitos para a emissão.
  3. Adquirir o Certificado Digital. Esse certificado funciona como uma assinatura da sua empresa. É assim que a SEFAZ pode garantir que o documento foi emitido pelo CNPJ cadastrado e autorizado. Dessa forma, ninguém pode emitir documentos em  seu nome, evitando fraudes. O certificado precisa ser emitido por uma Autoridade Certificadora credenciada ao ICP-BR.
  4. Realize  a configuração da empresa. Talvez para esse passo você precise da ajuda do seu contador. Antes de emitir o CT-e, é preciso configurar a empresa, ou seja, informar o tipo de regime (lucro real, presumido ou simples nacional) e alíquota de ICMS por estado de origem x estado de destino.

Que dados precisam constar no CT-e?

Para preencher e emitir o CT-e, você precisará preencher os seguintes dados:

Conclusão:

Agora que você já tem todas a informações que precisa sobre a CT-e, basta seguir os passos a fim de regularizar a documentação da sua transportadora.

Se você quer mais dicas sobre como gerenciar o seu negócio de transporte, primeiramente, veja esses outros conteúdos do blog da Texaco:

Enterprise Resource Planning (ERP), traduzido do inglês como “planejamento dos recursos da empresa“, é um sistema integrado de gestão empresarial que tem como objetivo executar estratégias mais eficientes para o crescimento do negócio, com os recursos disponíveis. O ERP funciona como um banco de dados empresarial, que reúne em uma única plataforma todas as operações de forma interligada, como a manufatura, a logística, as finanças e os recursos humanos, por exemplo. Continue lendo e saiba mais:

Atualmente, o sistema ERP se refere ao seu modelo informático utilizado em empresas. Sendo conhecido principalmente pelos softwares desenvolvidos para esta finalidade. Como software, o ERP permite organizar as informações armazenadas nos computadores da companhia, eliminando as redundâncias, permitindo uma visão global mais clara, criando processos automatizados e facilitando a distribuição das informações por todas as áreas envolvidas no negócio.

Exemplo de funcionamento de um sistema ERP

Vamos imaginar o caso de uma indústria de móveis sob medida que utiliza um sistema ERP. O software poderia integrar o processo desde a encomenda até a entrega da seguinte forma:

Idealmente, o ERP permite que todas essas informações sejam acompanhadasem tempo real por todos os setores, de forma sintética, desde o momento do pedido até sua entrega.

Vantagens do ERP:

Desvantagens do ERP:

Origem da matéria: Dicionário Financeiro, www.dicionariofinanceiro.com/erp/

Nós usamos nossas experiências como cliente e desenvolvedores de Sistemas ERP automatizados, para criar soluções acessíveis e eficientes a todo empreendedor, de diversos segmentos. Primeiramente oferecemos ferramentas para deixar sua empresa regularizada em exigências fiscais, controle operacional e administrativos de forma fácil e rápida, até mesmo do seu smartphone. E o melhor: estaremos sempre ao seu lado com nosso suporte!